Mel Gibson e os 25 anos de Hamlet: “O resto é silêncio”

O personagem mais importante para Mel Gibson não foi Mad Max, Martin Riggs de Arma Mortífera ou sequer Wallace de Braveheart. Foi Hamlet, talvez o maior papel alguma vez escrito para um ator e também um dos maiores desafios. E como é que um americano, que viveu tanto tempo na Austrália, representa um príncipe dinamarquês…

Blue is the Warmest Color: A questão não é a cor

A Vida de Adèle (La vie d’Adèle – Chapitres 1 et 2) venceu a Palma de Ouro em Cannes em 2013. Pela primeira vez, o galardão foi também atribuído a duas atrizes. Se o disser, ganho 40% de atenção. Se disser que é um filme excelente, talvez conquiste mais 5%. Se disser que as atrizes…

O Último Tango em Paris: “Não me perguntem o que significa este filme”

Quem o disse foi Marlon Brando. Um americano, ‘Paul’, enviuvou recentemente. Em Paris, envolve-se com uma rapariga francesa, ‘Jeanne’ (Maria Schneider). É este o argumento. Segue-se o que não estava no argumento. Ultimo tango a Parigi foi o primeiro filme que o ator completou após O Padrinho (The Godfather). Houve excursões de Espanha com espectadores…

Candy: Objeto cinematográfico não identificado

Um dos filmes mais bizarros de sempre, Candy, de 1968, parece saído do outro lado do cosmos. Famoso pela participação de Marlon Brando, baseia-se no romance satírico de Terry Southern, sendo-nos apresentado como uma paródia a Cândido de Voltaire. ‘Candy’ é uma estudante do liceu que procura verdade e significado na vida, encontrando várias personagens malucas…

Cécile De France faz 37 anos: “O meu coração está na Bélgica”

Em 2002, chamaram-lhe a nova esperança do cinema francês, apesar de ser belga. Dotada de uma beleza sem artifícios, dando vida a personagens díspares, Cécile De France tornou-se reconhecida pela crítica e popular entre o público, com a sua figura atlética e, por vezes, andrógina. Depois do triunfo de O Miúdo da Bicicleta, participou no…

A vida e a carreira de Sylvia Kristel

Sylvia Kristel foi projetada para a fama com Emmanuelle. No entanto, a personagem do livro de Emmanuelle Arsan pouco tinha em comum com a atriz. “Quis ser uma deusa do sexo, quis ser aquela personagem. Quis tudo. Voei, mas nunca aterrei onde queria. A minha celebridade terminou quando começava a acreditar nela.” Em 1974, depois…