Cassavetes, Falk e Gazzara no Dick Cavett Show: A transmissão infame (legendada)

Esta aparição do trio tornou-se lendária e é, sem dúvida, hilariante. Portanto, traduzi para português o programa. Devia durar 45 minutos, mas demorou meia hora, sabe-se lá porquê… os convidados tomaram conta. Como não sou apologista de colocar “posts” que são apenas links para vídeos ou fotos, é importante contextualizar como isto aconteceu.

Cassavetes, Falk, Gazzara - Dick Cavett Show

Muitas pessoas evidentemente não se recordarão do prestígio do talk show de Dick Cavett (já foi há 40 anos). John Cassavetes, Peter Falk e Ben Gazzara andavam a promover o filme que tinham feito em conjunto, Husbands, realizado por Cassavetes. (Já aqui falei detalhadamente desse e de todos os filmes do ator.) Os três tinham já ido ao The Mike Douglas Show e ao programa de David Frost, nos quais foram respeitosos e pareciam sóbrios, o que não é o caso aqui.

É apenas lamentável que tenham feito o que fizeram no programa de Dick Cavett, que entrevistou Jimi Hendrix, Janis Joplin, Groucho Marx, Marlon Brando e Orson Welles, entre outros, conseguindo sempre manter conversas interessantes e bem-humoradas. Podiam tê-lo feito ao ultraconservador Johnny Carson ou a Merv Griffin. O programa de Dick Cavett tinha um público mais “pensante” e, por conseguinte, menos audiência.

Os convidados não fizeram, em direto, o que o vídeo mostra – foi gravado três dias antes da transmissão televisiva, em setembro de 1970. Geralmente, Cavett tinha vários convidados e, para competir com as transmissões do futebol, começou a fazer programas de 45 minutos, emitidos à segunda à noite.

Mal Dick Cavett anuncia os convidados, nota-se logo que algo não está bem – Gazzara vem de copo na mão, e os três parecem ter estado a beber. Vêm também a fumar. Cassavetes começa por dizer olá à mãe e, a partir daí, é o descalabro. Embora Cavett seja o bombo da festa, há que lhe dar o mérito. A certa altura, abandona o estúdio, mas regressa, conseguindo impor o respeito possível. O apresentador mantém também uma postura humorística sem cair na palhaçada de muitos colegas seus.

Finalmente, é Ben Gazzara que tenta responder a uma das perguntas, e Cassavetes grita, “cobarde! Não íamos falar com ele!” “Não é cobardia, é sensibilidade”, responde Gazzara. Foi essa a ideia de John Cassavetes, antes de entrarem no programa. Disse aos colegas, “quando ele falar connosco, não lhe vamos dizer nada”.

O programa prossegue e, antes de uma das pausas para publicidade, a orquestra de Dick Cavett começa a tocar «If I Could Talk to the Animals». Uns 20 minutos depois, Falk, Cassavetes e Gazzara ficam mais “calmos” e conseguem proferir alguma coisa de mais sério.

Quando os três foram ao The Tonight Show, na época apresentado por Johnny Carson, mostraram-se mais compenetrados. Gazzara recordaria, no entanto, que houve outro momento de humor. “Eu dirigi-me à frente do palco para dizer qualquer coisa ao público e senti qualquer coisa nas costas. Era John, saltara para as minhas costas. John não era fã de pontificar sobre os seus filmes, adorava fazer figura de tolo.”

O que é interessante no programa de Dick Cavett é o facto de, apesar da galhofa, o trio mostrar como são ocos tais programas, que assentam na autopromoção e na projeção falsa de uma personalidade. Nenhum dos três alguma vez foi ídolo das matinés. Ficaram amigos ao trabalharem em Husbands e nota-se o laço que os unia. Logicamente, nem sempre foi um mar de rosas: No programa, Gazzara faz alusão a um incidente em que se pegou com Cassavetes, mas não explica o motivo. Isto passou-se devido à indecisão do realizador relativamente à montagem de Husbands. Na altura, Peter Falk tentou acalmar os ânimos e reconciliar Cassavetes e Gazzara.

Quando Husbands foi terminado, houve um visionamento para a imprensa, do qual Cassavetes quis excluir a crítica Pauline Kael, tentando pô-la fora do cinema. Esta só foi admitida devido à diplomacia de Ben Gazzara. Kael confessou-se assustada, como se Cassavetes quisesse “esmagar” todos os ossos do seu corpo ao arrastá-la dali para fora, enquanto dizia, “Love ya, Pauline, just love ya”. Mais tarde, John confessaria a um amigo: “Do modo como vejo as coisas, se a Pauline Kael alguma vez gostasse de um dos meus filmes, eu desistia.”

David Furtado

Uma nota quanto aos vídeos: A emissão está dividida em três partes. A legendagem é minha “e não partilho créditos com ninguém” como diz Cassavetes na brincadeira. Este vídeo tem um historial de aparecimentos e desaparecimentos no YouTube. Não sei se Dick Cavett ainda está zangado ou se é algum problema ou a “paranoia” de copyrights que aflige o YouTube há bastante tempo. De acordo com as regras deles, só podemos enviar vídeos cujos direitos detemos. Ora, isso é ficção científica e seria muito aborrecido. Por isso, deixam passar umas coisas, outras não. Conforme lhes dá na veneta. Tentarei fazer novo upload, caso estes desapareçam, pois sei que os fãs de Cassavetes, Falk e Gazzara são poucos mas bons.

Advertisements

Comentários:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s