Wand’rin’ Stars: Elsa Reia: Entretenimento e Reflexão

A arte em geral sempre me fascinou, o cinema tem um lugar especial na minha vida embora seja como um amigo que às vezes se encontra mais próximo e outras mais distante. Sou psicóloga clínica e os filmes tiveram e têm um papel interessante e importante na minha formação.

Natalie Portman em Cisne Negro (2010).
Natalie Portman em Cisne Negro (2010).

Observar e viver um pouco a vida dos personagens ajuda-me a compreender melhor as vivências do outro: as dificuldades, os dilemas e a forma de pensar. Ainda me faz compreender melhor que a linha entre a vida e a morte, o riso e o choro, o matar ou perdoar são linhas muito ténues e que mediante as circunstâncias (internas e externas) todos somos capazes de fazer tudo!

Lembro-me que mesmo antes de ingressar no curso de psicologia papava todos os filmes lamechas e baseados em factos reais que a TVI (na altura canal católico) emitia. Quando os comentava era gozada na escola, mas eles ajudaram-me depois a entender um pouquinho mais da mente humana. Não me recordo dos nomes, nem dos realizadores nem mesmo de pormenores das histórias mas ficará para sempre a aprendizagem que me proporcionaram!

Durante a faculdade perdi um pouco de vista o meu velho e bom amigo cinema, e nas curvas do caminho apenas vislumbrava alguns filmes, mas nada que me despertasse a curiosidade de explorar mais, ver mais, saber mais! Mas shogun-assassinfelizmente o reencontro com o Pedro Pereira trouxe-me de volta e em definitivo os filmes! Aliás, o nosso compromisso é de estarmos juntos na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, nos bons e maus filmes para todos os dias da nossa vida!!!

O Pedro apresentou-me a uma outra cara da arte do cinema que eu apenas sabia que existia, mas era o lado escuro da lua, que ele iluminou e que eu, curiosa, comecei a explorar avidamente! Ele agarrou-me na mão e levou-me pelos becos e vielas mais recônditas do cinema! Serie B non stop! Dos sangrentos e estapafúrdios gore, tipo Tokyo Gore Police e Vagina Assassina (Kiseichuu: kiraa pusshii) aos poliziescos (Italia a mano armata; Roma violenta). Que foram sempre lado a lado na cavalgada dos pistoleiros do velho Oeste (C’era una volta il West; Cimitero senza croci), ou não fosse casada com um fã incondicional de western-spagetti!! E desde que começámos esse passeio nunca mais parámos…

Ou aliás páramos uns dias em Almeria, porque afinal o velho Oeste fica em Espanha e não na velha América! Apreciamos os fantásticos estúdios e apresentações do Fort Bravo – Texas Hollywood. Recuamos literalmente no tempo e respiramos a emoção da eminência de um tiroteio! Recomendo a quem gosta do género, a realidade do dia-a-dia é literalmente afastada pela distância e pela paisagem avassaladora e imensa! Passamos uns dias numa realidade paralela envolvida pela dança burlesca das meninas do saloon e as gargalhadas das piadas soltas pelos actores “especialistas” que tanto fazem comédia como se defrontam em duelo e saltam dos cavalos a trote!

Voltando ao cinema, procuro-o por dois motivos principais: o entretenimento e a reflexão! E por isso sou muito eclética!

Gosto de alguns filmes de grande produção (Fight Club; Silence of the Lambs; The Black Swan) mas gosto muito de variar, de ver coisas diferentes independentemente da data e da origem e do género!

A Esfera (1998).
A Esfera (1998).

Gosto da história simples e brutal do cinema de acção (Delta Force, Rambo); ao suspense de encontrar o assassino (Psico, Primal Fear); à ficção científica (Sphere, X-Men) e ao drama (Ladri di biciclette; Nuovo Cinema Paradiso; La vita è bella; Il postino).

Sou menos fã de comédias e o terror tem de ser muito especial para gostar!

Antes da Meia-Noite (2013).
Antes da Meia-Noite (2013).

Relativamente à origem geográfica dos filmes, o cinema italiano fascina-me, encanta-me e delicia-me, como se pode observar nas minhas escolhas. Mas por outro lado a fotografia e modo de filmar dos chineses em filmes como o Yip man ou The last tycoon é peculiar e atrai-me. A violência dos japoneses admira-me e fiquei fã da saga Shogun Assassin (Lone wolf and cub), começamos pela montagem bem conseguida feita pelos americanos e seguimos por aí adiante, vimos os seis originais!

Bem, como vêem, o leque é vasto e a escolha dos favoritos é para mim um assunto complexo! No entanto, quando chegamos à escolha dos filmes que marcaram a minha vida existem três que me marcaram por diversos motivos, pela sua simplicidade, realismo, pela sua vertente relacional, filosófica e ainda porque, por coincidência ou não, foram lançados em momentos importantes da minha vida: Before Sunrise, Before Sunset e o actual Before Midnight com Ethan Hawke e Julie Delpy.

Elsa Reia

A Elsa Reia cresceu bem perto do céu, correu a sua infância nas ruas de Marvão (Portalegre), onde se vêem os pássaros pelas costas e onde se brincava em espanhol! É formada em Psicologia Clínica, gosta de desportos de aventura e na «hora do sofá» os filmes são os reis, mas ainda arranja tempo para a blogosfera, onde mantém os seus: In-Sanus, Palavras Rotas e Foto-Síntese.

http://in-sanus.blogspot.pt/
http://palavrasrotas.tumblr.com/
http://foto-sintese.tumblr.com/

Advertisements

Comentários:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s